Brasil Viaje de Graça 
Cidades de Minas Gerais
Cidades de Minas Gerais

Os nomes das cidades de Minas Gerais

Uma viagem ao passado pelas cidades das Gerais
BEM BOLADO

Eu, Tenente Mário DIONISIO da Silva, GUARDA-MOR do QUARTEL GERAL, declaro que, numa manhã de DATAS passadas, quando ainda brilhava uma estrela MATUTINA, por ordem do CAPITÃO ENEAS e do CORONEL MURTA, realizei a escolta do SENADOR FIRMINO e do GOVERNADOR VALADARES, levando em punho a BANDEIRA da LIBERDADE aos INCONFIDENTES. Após longo percurso pelos FERVEDOUROS do AREADO de SANTANA DO DESERTO, ficamos com muita sede, e sem dispor de BEBEDOUROS, resolvemos utilizar as BICAS de ÁGUAS FORMOSAS para tomar ÁGUA BOA, entre RIO PRETO e RIO POMBA. Saciada a sede, seguimos em ROMARIA até o COMERCINHO de SÃO JOSÉ DO MANTIMENTO, passando por PESCADOR, onde compramos PIAU para o almoço que fizemos num CHALÉ das proximidades. Como aperitivo, tomamos algumas doses de aguardente GUARACIABA, e tira-gosto, lingüiça PERDIGÃO em fatias com muita PIMENTA. Foi servido também como sobremesa, um TABULEIRO de doce em CALDAS. Refeitos , resolvemos fazer BOM REPOUSO em plena LUZ do dia, quando senti uma ligeira indisposição estomacal, tendo que ir à SENHORA DOS REMÉDIOS. Prosseguindo viagem e após longa caminhada, encontramos, bem próximo a um MONTE AZUL, alguns PAULISTAS bandeirantes que exploravam ESMERALDAS num ROCHEDO DE MINAS, quando os interrogamos sobre a possibilidade de encontrar outro tipo de pedra preciosa, tendo então nos respondido que haviam encontrado muitos CRISTAIS e até mesmo uma desconhecida PEDRA AZUL e também uma PEDRA DOURADA, mas enfim, estavam mesmo era à procura da FORTUNA DE MINAS. Seguimos em caminhada, e alguns passos dali, avistamos um caboclo pai-de-santo que realizava um BOM DESPACHO de farofa, frango e velas, quando descontraidamente, atolamos num BARREIRO GRANDE de OLARIA e entre TOMBOS, caímos num POÇO FUNDO. A partir desse momento percebemos que o dia não seria dos melhores, mesmo assim tínhamos BOA ESPERANÇA de que tudo se normalizasse com a graça do BOM JESUS DO AMPARO. Mas a noite chegava e o frio era intenso, geava tanto que por toda a extensão da CAMPINA VERDE só havia CAPIM BRANCO a perder de vista. Precisávamos nos abrigar. Entretanto, seguimos para a pequenina MORADA NOVA DE MINAS, alguns quilômetros dali. No dia seguinte, em plena ALVORADA DE MINAS, resolvemos nos divertir um pouco apreciando o deslumbramento do lugarejo, e de chegada, ficamos encantados com um FORMOSO pássaro que realizava um POUSO ALEGRE numa VIÇOSA VARGEM BONITA da região. Resolvemos então, subir um MORRO ALTO até chegar numa ALTEROSA, onde havia um MIRADOURO com vistas para o RESPLENDOR do BELO HORIZONTE que ali proporcionava, obtendo até uma BELA VISTA DE MINAS, ora em que detectamos um POUSO ALTO e maravilhoso de uma linda ARAPONGA que se misturava entre as PERDIZES. Vimos também entre as matas, um imenso CABO VERDE de TRÊS PONTAS parecido com uma CIPOTÂNIA; bem abaixo, perto de uma VARGINHA, havia um MUTUM que se alimentava vorazmente. O panorama era excelente. Tudo se via e ouvia, como o CHIADOR de um carro de boi que transportava religiosos para uma MESQUITA. Subitamente, entramos num MATO VERDE para colher fruta CAMPESTRE. Chegando lá, resolvi verificar algumas árvores, como os BURITIS, sem contar com o imenso COQUEIRAL. Havia numa baixada, grande quantidade de CANA VERDE, de espécie CAIANA. Foi um bom entretenimento, mas precisávamos partir. Descemos um morro e logo havíamos DESCOBERTO uma linda CACHOEIRA DOURADA que desaguava num rio de CASCALHO RICO em OURO FINO , onde muitos garimpeiros o explorava. Decidimos seguir esse rio e nas proximidades de ABADIA DOS DOURADOS presenciamos, de passagem, uma DOURADOQUARA de peixes em plena PIRACEMA ; mais à frente, num CÓRREGO NOVO rodeado de PAINEIRAS, via-se uma LONTRA que bebia água e um tamanduá que comia FORMIGA; num grande DESCAMPADO, podia-se ver um bando de PAPAGAIOS que ajudavam enfeitar as MARAVILHAS da natureza; havia também um vasto CAMPO FLORIDO que era realmente um CAMPO BELO e ficava entre CAMPO DO MEIO e CAMPOS ALTOS, já no MORRO DA GARÇA que iniciava o pé da SERRA DO SALITRE. Nem tudo era sinônimo de sossego por ali, em meio a toda aquela preciosidade havia também um constante perigo, os índios AIMORÉS, pintados com colorações avermelhadas, produzidas de PIRANGA, que nos tocaiavam armados de ARCOS com flechas. Tivemos que sair imediatamente, quando fomos atraídos por um índio GUARANI, inimigo daquela tribo, que passava pelo local, nos conduzindo em retirada. O susto ainda foi maior ao depararmos com uma ONÇA DO PITANGUI, e para não matá-la a TIROS, tivemos que dar uma VOLTA GRANDE correndo para o RIO CASCA, em direção RIO ACIMA , até chegarmos no RIO ESPERA, onde pegamos um barco e seguimos para uma BARRA LONGA, passando pela VAZANTE da represa de TRÊS MARIAS, rumo a SÃO GONÇALO DO RIO ABAIXO. Felizmente em PORTO FIRME atracamos bem perto de uma ESTIVA, onde percebemos que tínhamos dado um SALTO DA DIVISA de FRONTEIRA DOS VALES com DIVISA NOVA, tendo mesmo a impressão de estarmos bem no eixo CENTRAL DE MINAS, e graças a SÃO ROMÃO e SÃO TIAGO, obtivemos BOM SUCESSO, chegando ilesos ao BOM DESTINO. Finalmente, diante do nosso objetivo, resolvemos parar numa CAPELA NOVA da cidadezinha, onde pedimos informações ao pároco local, o MONSENHOR PAULO, o qual, muito gentilmente nos conduziu até a fazenda VILA MATIAS, momento em que abrimos a PORTEIRINHA e entramos rumo à CASA GRANDE, quando, TIRADENTES emocionado, de kimono e ALPERCATA, veio ao nosso encontro para receber o mastro, cuja CONQUISTA nos proporcionou EXTREMA FAMA. Em seguida, fomos convidados a entrar e nos juntar aos demais para comemorar a NOVA ERA; entre os convidados destacavam-se figuras ilustres, tais como CONSELHEIRO LAFAIETE e CONSELHEIRO PENA, DOM JOAQUIM e DOM SILVÉRIO, o Tomás GONZAGA, a Bárbara HELIODORA e a Princesa LEOPOLDINA; tinham também o DOM VIÇOSO (este se destacava pela longa barba), o COMENDADOR GOMES, o CORONEL XAVIER CHAVES e o CORONEL PACHECO, além do BARÃO DE COCAIS e do VISCONDE DO RIO BRANCO, este último, um velhote, numa tremenda RESSAQUINHA, dizia a todos que ia se separar da DONA EUZÉBIA porque estava extremamente apaixonado pela dona ALBERTINA, e queria mesmo era uma NOVA UNIÃO, sob pena de pedir PERDÕES pelos seus pecados; não deixando de destacar ainda, a presença de dois grandes profissionais, o ENGENHEIRO NAVARRO e o ENGENHEIRO CALDAS, cujo objetivo deles era a construção de uma NOVA PONTE, isto é, uma PONTE ALTA que passaria sobre um RIO MANSO, com estrutura reforçada em FERROS trançados na COLUNA superior e na LAJINHA. Num determinado momento, foi interrompida a festa para um breve cerimonial, vez que acabavam de chegar um JUIZ DE FORA, para que pudéssemos prestar junto a ele o JURAMENTO de lealdade à pátria, juntamente com FREI INOCÊNCIO e FREI GASPAR, para celebrarem uma missa na CAPELINHA. Após o SACRAMENTO, rezaríamos a LADAINHA de Nossa Senhora, pedindo ao DIVINO que abençoasse a todos. Encerradas as solenidades, foram acesas as LUMINÁRIAS de CANDEIAS, momento em que fomos convidados para um RECREIO, saboreando as delícias do FRUTAL da CHÁCARA, onde nossa preferência ficou no LARANJAL e nos pés de PEQUI e MANGA UBÁ. Também fomos convidados a participar de um safári valendo prêmio, cujo PASSA TEMPO teve o PATROCÍNIO do SENADOR JOSÉ BENTO e deveria iniciar num BREJO BONITO, caçando PAVÃO à MACHADO e pescando LAMBARI numa LAGOA FORMOSA que compunha as SETE LAGOAS ali existentes. Ficou decidido também, que a CONTAGEM de prêmios desse safári, seria a seguinte: para a primeira colocação, pagaria-se em MOEDA de ouro mais TURMALINA e OURO BRANCO. Para a segunda colocação, moeda de PRATA e OURO PRETO. Já como prêmio de CONSOLAÇÃO para o terceiro lugar, daria-se uma PRATINHA de OURO VERDE. Faria-se também uma CAMPANHA para que os retardatários eliminados nunca mais participassem de eventos como esse.

Texto: Mário Dionísio da Silva

Fonte:http://www.eusoumineirouaiso.com.br

 

Translate this Page

Rating: 2.7/5 (1200 votos)






Partilhe este Site...